página inicial Publicidade - Gurgel 800 mapa

Publicações - Quatro Rodas nº 369 de abril de 1991
Gurgel BR-800
(páginas: de 70 a 74)


GURGEL BR-800

Muitos erros e poucos acertos de um carro todo brasileiro

LUIZ BARTOLOMAIS JUNIOR


Existe uma novidade no mercado de automóveis chamada Gurgel BR-800 SL. Ele só estava disponível para os acionistas da fábrica, mas agora pode ser comprado por qualquer pessoa. QUATRO RODAS testou o carro e tem duas notícias sobre ele - uma boa e outra ruim. A boa: o BR-800 é o novo campeão de consumo em cidade, com a média de 12,2 km/l, batendo o Gol CL (11,61 km/l), o Uno Milie (11,52 km/l) e o Escort L (11,42 km/l). A notícia ruim: os defeitos dão de goleada nas qualidades. Isso seria atenuado se a fábrica tivesse cumprido a promessa de fazer o carro mais barato do país. Não conseguiu. Apesar das facilidades na taxação (apenas 5% de IPI, enquanto os outros automóveis pagam de 20% a 37%), em março o BR-800 custava cerca de 90.000 cruzeiros a mais que o Uno Mille.

Gurgel BR-800 SL
Campeão de consumo ele já é. Mas ainda precisa ser mais barato para compensar a falta de conforto no uso urbano.

A posição de dirigir é o seu ponto crítico

Este Gurgel é um carro feito para rodar basicamente na cidade. Mas, se o trânsito urbano fosse dominado pelos BR-800, certamente haveria nas ruas um exército de motoristas insatisfeitos. Explica-se: no desejo de fabricar um carrinho para a realidade do Terceiro Mundo, a Gurgel desprezou todos os itens de conforto.

Mesmo em baixa velocidade e levando em conta a boa intenção do projeto, dirigir o Gurgel BR-800 deixa a sensação de que o preço de sua economia é o eterno desconforto. Se é um carro para uso urbano num país tropical, por que a ventilação interna é tão ruim? Os vidros não abrem totalmente e se movimentam para frente e para trás, a exemplo da Ferrari F40 (que, no entanto, desliza em autopistas do Primeiro Mundo a mais de 200 km/h). A posição de dirigir só favorece as pessoas de baixa estatura. Os pedais estão mal localizados e acabam se tornando um transtorno para o motorista. Veja:

  • o acelerador enrosca o pé de quem usa calçados largos;
  • para não manter o pé esquerdo "descansando" sobre a embreagem, é preciso deslocar a perna - mas aí o que incomoda é um ferro que serve para fechar a porta;
  • o pé esbarra no suporte do pedal do freio.

O volante (leve e ágil) está mal posicionado e obriga o motorista a dirigir com os braços esticados. A simplicidade dos instrumentos corresponde à proposta do carro - ainda que tenha havido uma certa dose de exagero nas soluções adotadas. Os estranhos comandos da buzina, das luzes, do lampejador de faróis, do limpador e do lavador do pára-brisa não são iluminados à noite. Para acioná-los no escuro, só mesmo usando o método Braille. No comutador de seta há uma ilegalidade: ele não tem retorno automático. Transporte isso para o uso urbano, onde o pisca-pisca é usado constantemente.

Gurgel BR-800 SL
Detalhes de um carro com as cores nacionais:

Teclas de comando
instrumentos ruins

Pedais
e pedais mal posicionados

Se a falta de conforto decepciona, a parte mecânica também está longe de agradar - embora o Gurgel utilize vários componentes de outros carros nacionais. Os freios, por exemplo, são os do Chevette. Pena que a adaptação ao BR-800 foi infeliz. A 60 km/h, o Chevette precisa de 17,4 m até parar. Já o BR-800, com 204 kg a menos, percorre 19,6 m. Além dos freios, o BR-800 herdou o câmbio, o cardã e o diferencial do Chevette. Trata-se de um câmbio robusto, com engates fáceis... mas superdimensionado para o pequeno motor de 2 cilindros e 33 cv. O peso das engrenagens e o arrasto aerodinâmico provocado pelo cardã desproporcional prejudicam o consumo.

O motor é barulhento e vibra demais, transmitindo toda essa trepidação ao compartimento de passageiros a cada mudança de marcha. Por trás dessa vibração ainda é possível ouvir algumas batidas de pino. Sinal de que alguma coisa não está resolvida na ignição.

Até os 60 km/h, o BR-800 é um carro estável. Como foi projetado para rodar em baixas velocidades, nessa margem ele corresponde às expectativas. Acima dessa velocidade, entretanto, precisa ser dirigido com cuidado. Embora sejam resistentes, as molas semi-elípticas usadas na suspensão traseira comprometem a estabilidade nas curvas de alta. O problema é realçado pela pequena distância entre eixos.

Para compensar esses itens negativos, o BR-800 manobra com enorme facilidade no trânsito. Se o Uno, com seus 3,64 m de comprimento, é considerado um campeão de agilidade, que dizer do Gurgel e seus 3,19 m? Essa característica, aliás, vem desde o protótipo 280 M, testado por QUATRO RODAS em outubro de 1988. De lá para cá, o carrinho da Gurgel evoluiu bastante. Dois exemplos: 1) o vidro traseiro era fixo e ficou basculante para permitir o acesso de bagagem ao porta-malas: 2) a suspensão dianteira, que trabalhava em banho de óleo, agora funciona a seco. Mas ainda é pouco. Afinal, quem compra um carro exige, no mínimo, prazer ao dirigir.


NOTAS


0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Desempenho

Consumo

Nível de Ruído

Porta-Malas

POSITIVO

  • Consumo de combustível
  • Facilidade para estacionar
  • Engates do câmbio

  • NEGATIVO

  • Preço
  • Posição de dirigir
  • Comandos do painel
  • Freios
  • Espaço interno
  • Ventilação
  • Motor fraco

  • DEVAGAR E SEMPRE



    CONSUMO
    18,88 (a 60 km/h)
    17,38 (a 80 km/h)

    23,12 (a 60 km/h)
    18,69 (a 80 km/h)






    ACELERAÇÃO (0-100 km/h)
    47s99
    34s39






    VELOCIDADE MÁXIMA
    108,8 km/h
    110,5 km/h






    RETOMADA
    11s16 (40-60 km/h)
    51s88 (40-100km/h)

    10s15 (40-60 km/h)
    45s90 (40-100km/h)






    NÍVEL DE RUÍDO
    82,4 decibéis
    78,3 decibéis



    Números do teste


    DESEMPENHO

    Velocidade máxima 110,5 km/h
    ACELERAÇÃO
    0 a 80 km/h 18s14
    0 a 100 km/h 34s39
    0 a 120 km/h -
    0 a 400 m 23,58 (87,7 km/h)
    0 a 1000 m 45s53 (104,7 km/h)
    RETOMADA
    40-60 km/h (4ª marcha) 10s15
    40-80 km/h (4ª marcha) 22s17
    40-100 km/h (4ª marcha) 45s90
    40 km/h-1000 m (4ª marcha) 46s47

    CONSUMO

    MÉDIO
    Na cidade 12,02 km/l
    Na estrada (carregado) a 100 km/h 14,91 km/l
    Na estrada (vazio) a 100 km/h 14,11 km/l
    Média ponderada 13,27 km/l
    VELOCIDADE CONSTANTE
    80 km/h (4ª marcha) 19,40 km/l
    100 km/h (4ª marcha) 15,39 km/l
    120 km/h (4ª marcha) -

    NÍVEL DE RUÍDO

    Ponto morto 56,6 decibéis
    80 km/h (4ª marcha) 77,5 decibéis
    100 km/h (4ª marcha) 78,5 decibéis
    120 km/h (4ª marcha) 83,8 decibéis
    Média ponderada 78,3 decibéis

    FRENAGEM

    40-0 km/h 6,7 m
    60-0 km/h 19,6 m
    80-0 km/h 34,8 m
    100-0 km/h 54,4 m
    120-0 km/h -

    ROLAMENTO

    100-40 km/h (ponto morto) 774,0 m

    Mercado


    PREÇO (Cr$ x 1 milhão) em março
    UNO MILLE
    BR-800 SL
    GOL CL
    ESCORT L
    1,0 1,4 1,8 2,2 2,4 3,0

    ACELERAÇÃO (segundos) 0 a 100 km/h
    ESCORT L
    GOL CL
    UNO MILLE
    BR-800 SL
    0 10 20 30 40 50

    RETOMADA (segundos) 40 a 100 km/h
    ESCORT L
    GOL CL
    BR-800 SL
    UNO MILLE
    25 30 35 40 45 50

    CONSUMO (km/l) média
    GOL CL
    ESCORT L
    BR-800 SL
    UNO MILLE
    3 6 9 12 15 18

    NÍVEL DE RUÍDO (decibéis) média
    ESCORT L
    GOL CL
    UNO MILLE
    BR-800 SL
    55 60 65 70 75 80

    PORTA-MALAS (litros) capacidade
    ESCORT L
    UNO MILLE
    GOL CL
    BR-800 SL
    100 150 200 250 300 350

    Chassi do Gurgel BR-800 SL
    Chassi do Gurgel BR-800 SL


    Ficha técnica


    Motor
    Gasolina, dianteiro, longitudinal, dois cilindros opostos (semelhante a meio motor VW 1600 refrigerado a ar), refrigerado a água, alimentação por carburador.
    Velocidade máxima 110,5 km/h
    Diâmetro x curso 85,5 x 69,0 mm
    Cilindrada 792 cm³
    Potência 33 cv (24,3 kW) a 5.000 rpm
    Torque 6,2 mkgf (60,8 Nm) a 2.500 rpm
    Taxa de compressão 8,5:1
    Câmbio
    Mecânico, tração traseira, quatro mardias (câmbio e cardã de Chevette), com a seguinte relação:
    3,75:1
    2,16:1
    1,38:1
    1,00:1
    3,81:1
    Diferencial 4,10:1
    Carroceria
    Dois volumes, duas portas, quatro passageiros: dimensões externas com 319,5 cm de comprimento, 148,0 cm de altura (15,0 cm do solo), 190,0 cm entre eixos, 128,5 cm de bitola dianteira e traseira.
    Tanque 40 l
    Porta-malas 122 l
    Carga total 390 kg
    Peso do carro testado 680 kg
    Suspensão
    Dianteira independente com molas helicoidais e amortecedores; traseira com eixo rígido, molas semi-elípticas e amortecedores.
    Freios
    Disco na dianteira e tambor na traseira (os do Chevette).
    Direção
    Mecânica, de pinhão e cremalheira; volante de 32 cm; diâmetro de giro 8,45 m para a direita e para a esquerda.
    Rodas e pneus
    Rodas de aço aro 13 x tala 4,5 polegada: pneus 145 R 13
    Equipamentos e preço
    De série: calotas, radio e espelho retrovisor do lado direito; preço Cr$ 1.540.938,00 em março.
    Fabricante
    Gurgel Motores S/A , Rodovia Washington Luis, km 171, CEP 13500, Rio Claro, SP, tel. (0195) 34-9588, fax (0195) 34-8678.

    Versão para impressão



    e-mail Yahoo! Grupos Facebook Twitter Floripa Internet